Pimentel anuncia redução do ICMS para indústrias calçadistas do polo de Nova Serrana

0
284

O governador Fernando Pimentel anunciou nesta terça-feira (11/8) a redução, a partir de setembro, da alíquota de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) de 3% para 2% para as indústrias instaladas no Arranjo Produtivo Local (APL) de Calçado de Nova Serrana, no Território Centro-Oeste. A diminuição vai beneficiar as cerca de 1.200 fábricas dos 12 municípios do polo calçadista: Araújos, Bom Despacho, Conceição do Pará, Divinópolis, Igaratinga, Leandro Ferreira, Nova Serrana, Onça do Pitangui, Pará de Minas, Perdigão, Pitangui e São Gonçalo do Pará.

“O secretário de Estado de Fazenda, José Afonso Bicalho, e sua equipe, já estudaram a redução da alíquota do ICMS de 3% para 2%, que será implantada a partir de setembro. Já é um esforço para que os empresários do polo de Nova Serrana continuem dando esse exemplo para o Brasil, exemplo de garra, de determinação”, afirmou o governador, durante a abertura da 16ª edição da Feira de Calçados de Nova Serrana (Fenova).

Na região de Nova Serrana são produzidos cerca de 105 milhões de pares de sapatos femininos, masculinos e infantis por ano, gerando 40 mil empregos diretos e indiretos. É o terceiro polo calçadista do país e sedia uma das maiores feiras do segmento.

A redução da alíquota de ICMS atende a uma antiga reivindicação do setor. Em seu discurso, o presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Calçados de Nova Serrana (Sindinova), Pedro Gomes da Silva, lembrou que, no ano passado, apenas Nova Serrana gerou R$ 73 milhões de ICMS. “Desejamos ter uma política para a indústria de calçados, para que sejamos parceiros do governo”, disse.

“Trabalho e garra”

Em seu pronunciamento, o governador Fernando Pimentel destacou que a melhor saída para a crise econômica é o trabalho. “Crise existe, mas crise existe para a gente enfrentá-la, e a gente enfrenta não é com pessimismo nem reclamação. É com trabalho. E aí está a parceria do governo do Estado, prefeituras, dos nossos parlamentares estaduais e federais. Esta atitude de parceria, de dividir as dificuldades para superá-las, é a que vamos continuar fazendo em Minas Gerais”, afirmou o governador.

Pimentel ressaltou que, ao percorrer o interior de Minas Gerais, não encontra “clima de derrotismo”, mas sim “esforço para superar as dificuldades”. “Fico muito feliz porque em Minas Gerais eu não encontro eco para esse clima de pessimismo, de derrotismo, que tenho visto em outras regiões do país. Em Minas Gerais, o que eu vejo é muito trabalho, é muita garra. Eu não vejo ninguém sentado reclamando, eu vejo todo mundo trabalhando. E acho que isso tem a ver com a nossa característica básica de mineiros. É uma coisa que pouca gente presta a atenção: nós temos 27 Estados e só um tem no seu nome próprio uma profissão: mineiros. O nome próprio de Minas Gerais é trabalho, e é por isso que estamos andando para frente, estamos servindo de exemplo para o Brasil”, comentou, lembrando que está percorrendo os 17 territórios de desenvolvimento em que Minas Gerais foi dividida para a instalação de Fóruns Regionais de Governo.

O governador disse ainda que sua presença na abertura da Fenova é um reconhecimento da importância de Nova Serrana e da indústria calçadista para Minas Gerais. “Aqui, nesse polo, nós hoje podemos nos orgulhar de ter um terço da produção nacional de calçados esportivos, de tênis. Só Nova Serrana hoje deve estar produzindo 500 mil pares por dia de tênis. E as cidades da região também. Isso, por si só, já justifica e simboliza aquilo que nós queremos para Minas Gerais”, afirmou.

Lideranças manifestam apoio

O prefeito de Nova Serrana, Joel Martins, agradeceu a presença do governador na abertura da feira. “Sabemos da situação que o senhor, governador, assumiu quando chegou ao governo, e sabemos também da sua capacidade de governar. A crise econômica está passando, já tivemos outras e vamos superar essa também”, disse. Ele entregou ao governador uma carta com reivindicações nas áreas de saúde, educação e segurança pública.

Para o presidente do Sistema Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais) Regional Centro-Oeste, Afonso Gonzaga, com o apoio dos empresários da região de Nova Serrana será possível “colocar Minas no trilho do desenvolvimento”. “Tudo o que pudermos fazer para estar ao seu lado, governador Pimentel, faremos. Sabemos perfeitamente das dificuldades financeiras, mas cabe aos poderes Executivo e Legislativo buscar ações para fortalecer o Estado. Conte com a Fiemg e com os empresários”, disse.

A 16ª edição da Fenova, que acontece até a próxima quinta-feira (13/8), conta com 82 estantes, representando cerca de 200 marcas. A expectativa é de que os negócios realizados movimentem cerca de R$ 35 milhões e atraiam 5 mil visitantes. Este ano, 85 lojistas do Nordeste do país visitam a feira.

Participaram também da abertura da 16ª Fenova os secretários de Estado de Governo, Odair Cunha, e da Fazenda, José Afonso Bicalho, deputados federais e estaduais, o vice-presidente da Câmara Municipal de Nova Serrana, Antônio Luiz, e o diretor técnico do Sebrae-MG, Fábio Veras.

Compartilhe