Mais um parlamentar mineiro rompe com o Governo

0
525

por Nilton Ramos

Eleito pela primeira vez deputado federal pelo PMDB, o jornalista investigativo da Rádio Itatiaia​, a maior rádio de Minas Gerais, e uma das maiores do país, com sede em Belo Horizonte, Laudívio Carvalho​ anunciou oficialmente seu rompimento com o Governo Federal.

LAUDIVIO-PLEN--RIO

O rompimento foi feito diretamente ao presidente do partido em Minas Gerais, Antônio Andrada, que é vice-governador de Minas, na chapa vencedora e encabeçada por Fernando Pimentel [PT-MG].

Apresentador do programa policial Itatiaia Patrulha por mais de três décadas, Carvalho justificou os motivos que o fizeram abandonar os projetos encabeçados pelo PT, no Governo Dilma Rousseff.

Parlamentar disse que, assim como os milhões de eleitores que a reelegeram, se sente enganado, e que a presidente não tem colocado nenhuma de suas promessas em prática.

Laudívio Carvalho afirmou não votar mais com o Governo no Parlamento, mas que permanece no partido que o acolheu para concorrer nas eleições de 2014.

Como havia dito quando escrevi sobre o ‘suposto’ rompimento do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha [PMDB-RJ] com o Governo Dilma, indagamos a impossibilidade de romper algo que que jamais foi considerado uma aliança, no caso do deputado carioca.

Na verdade, Cunha nunca esteve com este Governo. Os bastidores dizem que o presidente daquela Casa é chamado no Planalto de ‘Inimigo Preferido’ [em tom irônico].

Falávamos que Cunha saiu atirando para todos os lados depois que seu nome foi citado em uma delegação premiada na gigantesca Operação Lava-Jato, da Polícia Federal e do Ministério Público Federal.

Chegou a falar em rompimento pessoal com o Governo, e que esse mesmo governo tem manipulado estrategicamente até a Procuradoria Geral da República para atingi-lo.

Cunha e outros tantos políticos tem sido alvo de investigação da PF e do MPF. Mais recentemente três carros de luxo foram apreendidos na Casa da Dinda, em Maceió, do senador Fernando Collor de Mello [PTB-AL].

E que mais adiante, levantou-se que aqueles luxuosos veículos estão com restrição, pois IPVA não fora pago pelo seu proprietário, e que um deles, estaria registrado em nome de um posto de combustíveis.

Agora mesmo, a Revista Veja publicou que o ex-jogador e senador Romário teria uma conta secreta na Suíça, dinheiro proveniente de corrupção.

Romário foi ao banco, onde ele supostamente teria a conta e comprovou que não havia conta alguma em seu nome.

Os repórteres e a revista por certo responderão cível e criminalmente em juízo pelas acusações e danos praticados contra o senador Romário.

Hoje, todos os repórteres envolvidos na reportagem que ‘acusava’ Romário de ser beneficiado por dinheiro de corrupção não suportaram a pressão nas redes sociais, e retiraram seus perfis do facebook.

Todo esse rodeio para voltar ao objeto central do tema de hoje de nosso artigo. A saída do deputado Laudívio Carvalho da bancada apoiadora do Governo de Dilma.

Entendemos que Carvalho não usa da mesma estratégia que Eduardo Cunha. Mesmo porque, o deputado mineiro não é apoiador do atual Governo.

As demonstrações mais nítidas aparecem quando Laudívio Carvalho passou a liderar a ‘bancada da bala’, levantando apoios para aprovação da PEC171/93, que trata da redução da maioridade penal, que aliás, contraria o Planalto.

Carvalho seria um dos 150 aliados do deputado e presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha?

Tem mais: Laudívio Carvalho apresentou uma proposta no Parlamento Federal objetivando proibir o Uber em território nacional, em apoio aos taxistas, que realizaram uma manifestação gigantesca esse semana.

Uber é um aplicativo que apresenta passageiros, interessados em ir a algum lugar, a motoristas particulares, interessados em levá-los naquele momento. O valor da corrida é flexível, atende a leis da oferta e da procura e a promoções para atrair o público.

Aplicativo Uber seleciona carros mais luxuosos, todos de cor preta, e com oferta de gentilezas a bordo, como água gelada, o estilo de programação de rádio e/ou músicas querem ouvir durante o trajeto. A empresa fica com uma parcela [20%] do valor pago pela corrida.

O plano já é considerado um sucesso, e tem provocado concorrência com os taxistas de grandes Metrópoles, como Rio de Janeiro e São Paulo.

Fundada em 2009 no Vale do Silício, nos Estados Unidos, a empresa tem valor de mercado estimado em US$ 18,2 bilhões, o que faz dela a startup mais valiosa da história. Presente em 56 países, o serviço chegou ao Brasil no ano passado, e há movimentos para alcançar outras cidades, como Belo Horizonte.

O deputado federal Laudívio Carvalho esteve  reunido com o comandante do batalhão de trânsito da capital mineira, tenente Coronel Cássio, juntamente com o comandante interino, tenente-coronel Marcelo e representantes da categoria dos taxistas de Belo Horizonte para uma discussão sobre o transporte de passageiros.

Carvalho propõe uma discussão nacional sobre o Uber, e defende os taxistas, afirmando que a eles são impostos vários gastos pelos sindicatos da categoria para o exercício legal da profissão.

Por outro lado, ressaltamos que os membros do Uber não recebem tratamento diferenciado, ou benefícios como descontos fiscais na aquisição do veículo para transporte de passageiros, que chegam a 30%.

Não seríamos levianos em negar a qualidade enquanto jornalista do deputado Laudívio Carvalho. Foi como repórter policial da Rádio Itatiaia que ele conheceu de perto as mazelas da segurança pública, principalmente em Minas Gerais.

Sabe também das condições enfrentadas pelas polícias Militar e Civil no Estado. Conhece de perto a precariedade carcerária mineira, o que se repete em todo o país.

São inúmeras as questões a serem enfrentadas pelo Legislativo, Executivo e Judiciário.

Como abordamos hoje o tema, para concluir, quanto ao transporte público, em Ipatinga, principal cidade da Região Metropolitana do Vale do Aço e das cidades do colar metropolitano, o transporte clandestino é conhecido por todos, inclusive pelas autoridades responsáveis.

O transporte ilegal de passageiros acontece bem debaixo do nariz das nossas autoridades. Diariamente dezenas de motoristas disputam passageiros que desembarcam na rodoviária de Ipatinga, saindo na rua Belo Horizonte.

Os passageiros são abordados pelos clandestinos, que aos gritos oferecem o serviço para cidades da região, como Governador Valadares, e até Belo Horizonte.

Compartilhe