Início Colunistas Emagrecimento X Compulsividade - Quando morremos pela boca!

Emagrecimento X Compulsividade – Quando morremos pela boca!

Desaprendemos a esperar. Queremos tudo pra ontem.

Os excessos e a pressa produzem respostas imediatas (o prazer de comer aquelas fritas crocantes que escorrem gordura entre os dedos) mas trazem consequências a médio e longo prazo (obesidade, diabetes, doenças circulatórias, cardíacas e outros problemas orgânicos, baixa autoestima, esquiva do contato social etc).

Quando buscamos alívio ou prazer, geralmente, queremos que isso aconteça já. Seja em relação a compras, ao sexo, à resposta de alguém que leu sua mensagem no Whatsapp e te ‘ignorou’ há mais de 15 longos minutos (serio?), ou simplesmente o COMER!

Os transtornos de ansiedade estão se proliferando como uma peste incurável, retrato do mundo contemporâneo. A ansiedade é, sob o ponto de vista fisiológico, um mecanismo necessário e benéfico ao organismo, a qual nos ajuda a sobreviver e a nosdefender. Todavia, o excesso poderá levar o indivíduo a desenvolver transtornos que irão comprometer sua a saúde física e mental.

Pagamos um preço alto pela falta de autocontrole. “Comi quase um pudim inteiro mas semana que vem vou 5 dias seguidos na academia”. E assim vamos vivendo e nos enganando…

Além de saciar a fome (ou simplesmente matar a vontade irresistível de comer), alimentar-se é essencial para manutenção da própria vida. Em contrapartida, o comer excessivo pode nos causar doenças graves que, ao contrário, podem nos levar à morte. Fato! Paradigma difícil de engolir, não é?

Só no Brasil, são 18 milhões de obesos e mais de 70 milhões acima do peso!

Nem sempre a obesidade é causada apenas pelos maus hábitos alimentares. Existem outros fatores como o patrimônio genético do indivíduo, disfunções endócrinas e a concomitância com outras doenças que também podem ser responsáveis pelo ganho de peso e obesidade (e destes, geralmente não temos controle). Porém, falo aqui dos

fatores que apenas de nós: o comportamento de comer compulsivamente! Este é um problema comportamental e definitivamente pode (e deve!) ser tratado, assim que descartadas todas as demais possibilidades fisiológicas.

Eis que a “fixa cai” e vem o desespero. Você se dá conta do mal que está causando a si mesmo e decide recorrer a soluções “milagrosas” para resolver rapidamente um problema que, possivelmente, tem se arrastado por anos e anos da sua vida. Inicia-se o ciclo: dietas malucas, jejuns absurdos, restrições alimentares desnecessárias… Mais do mesmo! Nunca funcionou mas continua tentando as mesmas estratégias esperando resultados diferentes?

Sabe qual o problema dos programas de emagrecimento e das tais dietas milagrosas? Eles nos prometem coisas não poderão cumprir a longo prazo. Se cumprirem, será por pouco tempo. Os resultados não são duradouros. E mais uma vez caio na armadilha do “Rápido e Fácil”, mas, nada duradouro e muito menos definitivo. Arrisco dizer que, se te apresentarem um novo programa “milagroso”, provavelmente vai se entregar a ele de novo. Daí, é só uma questão de tempo até você chegar à óbvia conclusão de que não vai funcionar de novo e você voltará a engordar. Consequências: engorda, frustra-se, decepciona-se, autoestima baixa, autoconfiança zero, engorda mais, e por aí vai. E dá-lhe efeito sanfona.

Pra termos resultados diferentes, comportamentos diferentes precisam aparecer. Tenho aqui algumas dicas* de ouro que vão te ajudar a mudar essa história de vez. Papel e caneta? Veja os 5 principais erros que cometemos:

1 – Você sempre começa muito determinado sua dieta e nas primeiras semanas é uma maravilha? (Daí sai a motivação, entram as desculpas?).

2 – Matricula-se logo na academia (naquela promoção anual que sai mais “em conta”) mas você frequenta no máximo um mês? (Na segunda semana, tem a impressão que fez uma bobagem?)

3 – Empolgado, vai às compras: suplementos, roupas e tênis para academia? (Antes de chegar em casa, já se arrependeu?)

4 – Contrata um personal trainer 5 vezes por semana e pensa “agora vai!” ? (E já na segunda semana cai pra 3?)

5 – Vai a um nutricionista e compra todos os alimentos da dieta prescrita? (Mas nunca tem tempo de preparar?)

P.S.: Todos os 5 acima num prazo máximo de 2 dias?

 

Quantas vezes você ja fez isso? Quantas deram certo?

Se você continuar fazendo as mesmas coisas, não espere resultados diferentes. Se já se submeteu a diversos exames, já fez inúmeras dietas, descartou qualquer possibilidade orgânica que pudesse estar te fazendo ganhar peso, então, entenda, a resposta pode estar no seu próprio comportamento! No próximo artigo, falarei mais de estratégias cognitivas-comportamentais que te ajudarão a sair desse ciclo vicioso, a controlar sua ansiedade e sua compulsão e a tomar as rédeas da sua vida novamente.

P.S.* Essas dicas não substituem o acompanhamento de profissionais da área.

 

Compartilhe
Jane Kareninahttp://www.janekarenina.com/
Psicóloga Clínica, Coach-Psychologist, Palestrante e criadora dos Programas Diva no Divã / Empoderamento Feminino e 4EverFit / Beyond Diet Recipies. Sou uma apaixonada pelo desenvolvimento humano, empoderar pessoas é minha arte. Sou especialista em Terapia Comportamental (PUC/MG) e em Coaching-Psychology (HARVARD UNIVERSITY / Boston - USA).

Conecte-se

16,985FãsCurtir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever

Mais Lidas

- Advertisement -

Related News

Compartilhe