Em Minas é assim: Fecha-se uma escola. Abre-se um Batalhão de Polícia Militar

1
377

CARATINGA – Se Víctor Hugo, novelista, poeta, dramaturgo, ensaísta, artista, estadista e ativista pelos direitos humanos francês de grande atuação política ainda estivesse fisicamente entre nós, certamente ele não se conteria em si mesmo de tanta tristeza e decepção com a política implementada por governo no ensino público, principalmente em Minas Gerais.

Hugo é dono da frase que nos indica o caminho a ser seguida, séculos depois de sua morte: ‘Cada escola aberta, é um presídio que se fecha. ’ 

Enquanto isso, e na contramão do que é racional, a Proposta de Emenda Constitucional que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos caminha na Câmara dos Deputados apostando os parlamentares que são eles os responsáveis pelo crescimento dos índices de violência e criminalidade no Brasil.

A lei vai pôr um ponto final em tudo isso. Reduzir tais índices e todos viveremos felizes e seguros para sempre.

Afirmam que os menores infratores, que deixaram de ser inimputáveis para se tornarem imputáveis estarão custodiados pelo competente Estado Brasileiro em instituições compostas por agentes e/ou servidores preparados para lidar com a situação, e depois, reinseri-los na sociedade completamente prontos para exercerem uma profissão, constituírem família, recolherem seus impostos, e fazer o país crescer.

Entretanto, em Minas Gerais não é bem assim, como ensinou Víctor Hugo. Especificamente em Caratinga, cidade-polo regional a política contemporânea, sobretudo do governo Fernando Pimentel [PT] é o inverso: Aqui, fecha-se uma escola para se abrir um batalhão para abrigar homens da PMMG.

A Resolução data de junho de 2015, leva o número 4405, e cria o 62º Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais em Caratinga, que se junta à 22ª Cia. Independente de Polícia Militar no município.

Está programado para que o 62º BPMMG se instale no prédio que abriga a Escola Estadual ‘Maria Isabel Vieira [Polivalente], localizada no bairro Nossa Senhora Aparecida, na Cidade das Palmeiras.

O Polivalente é uma instituição tradicional em Caratinga, por onde passaram milhares de alunos. Contudo, a decisão que vem do governador Pimentel, encontra apoio entre outros, da direção da CDL [Câmara de Dirigentes Lojistas] e da ACIC [Associação Comercial e Industrial de Caratinga].

Apesar de tentarmos contato com o prefeito de Caratinga, Marco Antônio Junqueira, ainda não se sabe a posição do Executivo daquela cidade.

Mas o vereador Diego de Oliveira Silva [PSD] recebeu em seu gabinete um grupo de representantes dos alunos da EE Polivalente que deram início a um movimento contrário à decisão do governo de Minas, Fernando Pimentel, conforme registro em vídeo:

 

[mom_video type=”youtube” id=”r-aU4_eZFME”]

 

Compartilhe

1 COMENTÁRIO

Comentários estão fechados.