Minha visita a uma igreja evangélica e consequente decepção

Igrejas franquias da fé

0
299

 

Fui convidado por uma amiga para ir numa igreja que realizava um “culto especial” um dia desses. Mesmo relutante interiormente resolvi ir para agradar. No geral foi até normal, mas ao chegar o momento da pregação o pastor convidado começa a dizer que Deus havia falado com ele. E descreve essa “conversa” num formato de um diálogo onde por fim lhe fora relevado que 10 pessoas naquela noite haveria de fazer um sacrifício para serem abençoadas doando R$ 1 500,00 cada uma. Fiquei pasmo!

Quem me dera tivesse um “deus” que me ajuda-se a ganhar dinheiro. Para quem não interessa sacrifícios espirituais e morais desde que sejam feitos sacrifícios monetários. Uma divindade capitalista interessada em fazer a igreja, sua franquia terrestre, a prosperar para continuar mantendo o luxo de seus pastores.

Olhei para aquele pregador e comecei a analisá-lo. Duvido que tenha terminado o ensino médio, certamente veio de uma família muito pobre o que ele afirmou lá várias vezes, mas estava com uma pulseira de ouro, um iphone 7 e num C4 Lounge novo de aproximadamente  R$ 80 000,00.

Duvido que se aquele pregador fosse procurar emprego encontraria um salário maior que o mínimo, mas na igreja ostentava padrão de vida de uma pessoa de classe média que geralmente estudou anos e trabalha numa jornada pesada para ter tal padrão de vida.

Num lapso de fraqueza indaguei se a decisão que tomei de deixar o pastorado foi realmente acertada, mas depois me recordei que essas igrejas possuem práticas que eu considero verdadeiramente criminosas com as tais campanhas. Primeiro, porque o pregador leva no mínimo a metade das ofertas arrecadas (naquela noite ele faturou pelo menos R$ 7 500,00 em dinheiro.  Uma pregação de 2 horas.  Nada mal não acha?).

Segundo, por ter se passado por porta voz de Deus apenas para enganar as pessoas. Deus não falou com ele. Sua ambição e ganância foi que falou. Terceiro, a única prosperidade desses cultos é do pastor e dos pregadores convidados. Todos os membros do rebanho saem  mais pobres.

E, por fim, se fosse Deus que tivesse falado pediria sacrifício financeiro? O texto pregado foi Deuteronômio 28 onde Moisés fala que se o povo          OBEDECER aos mandamentos essa atitude lhes traria a bênção. Mas o pregador diz que se o povo DEIXAR SEU DINHEIRO  abençoado será. Em quem você acredita? No pregador ou em Moisés?

O pregador era itinerante. Ele dá uns gritos; faz umas afirmações bombásticas; fala em nome de Deus; fala que Deus fez coisas que ninguém consegue ver e prega em diversas igrejas por mês saqueando pela fé os incautos crentes.

Onde está o ensino de Jesus: “De graça recebei. De graça dai”. Ele pediu “sacrifícios financeiros” de qual pessoa no seu evangelho? Enfim, o cristianismo é a versão moderna da antiga igreja católica que vendia indulgência. A diferença é que não vendem mais perdão de pecados e sim bênçãos.

Eu realmente acredito que com raras exceções essas “pregações”  fazem muito mal à sociedade. É um verdadeiro estelionato espiritual. Essas “igrejas” se vendem como franquias celestiais sem as quais as pessoas não têm acesso a Deus se colocando como intermediárias entre Deus e os homens. Enfim, evangélicos não seguem mais a Jesus e sim a doutrina de pastores cada vez mais ávidos pelo sucesso e lucro.

Espero honestamente que as pessoas abram seus olhos e veja a verdade bem a frente de seus olhos.