Amplie sua mente

1
786

É comum ouvirmos adágios populares e, baseado nos mesmos, estabelecermos pensamentos, ideias, planos, projetos e processos. 

Os adágios têm um certo fundamento e, na maioria das vezes, se tornam crenças, cultura e padrões mentais, que poderão determinar os resultados na vida das pessoas.

Se faz necessário aprender a desenvolver uma visão multifocal de forma holística, enxergando o micro e o macro ao mesmo tempo, dentro e fora, em cima e embaixo, perto e longe, escuro e claro. Enfim, há várias possibilidades, prismas, viés, lentes, filtros que permitem leituras diferenciadas das mesmas referências.

O perigo de fazer o uso de um adágio e estabelecê-lo como valor absoluto é o mesmo que pode gerar crises, preocupações e dissabores.

Você, provavelmente, conhece: “Mais vale um pássaro na mão do que dois voando!”. Esse adágio, remete a uma pseudo segurança, limitando o crescimento e desenvolvimento do indivíduo, colocando-o em risco, de uma hora para outra. A ausência da visão holística ofusca a ideia de que um dia esse único pássaro poderá fugir ou morrer e a escassez ou a perda poderá ser estabelecida. Foi exatamente isso que aconteceu no Brasil, no período de 2015 a 2017, quando o aumento exacerbado do número de desempregados chegou, no primeiro trimestre de 2017, a 14,2 milhões (IBGE). Observe, 14,2 milhões de pessoas desempregadas pelo fato de terem apenas um emprego. 

“Mais vale um pássaro na mão…” é um conceito sociológico que está na retaguarda dos indivíduos, agindo como substrato psicológico intrínseco na interação social da consciência coletiva que é difundida através dos ditados populares. Sendo esse, apenas um dos exemplos do poder de um adágio popular.

Observe o exemplo da Suíça, um país montanhoso, menor do que o estado do Rio de Janeiro, com ínfima possibilidade de desenvolvimento, por características do país como ausência expressiva de cultivo, sem grandes riquezas naturais, onde não havia uma capital estabelecida, apenas a efêmera República Helvética. Uma Confederação de Estado, onde a “Dieta Federale” reunia os “Cantões”, membros da Federação, banqueiros, empresários, executivos, políticos com o objetivo de idealizar o país, debater sobre temas diversos, criar e estabelecer axiomas. Foram esses “axiomas” que impulsionaram e conduziram a nação ao patamar conhecido atualmente: o primeiro lugar no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial, com uma economia de mercado próspera e estável e PIB per capita maior do que o de grandes economias da Europa ocidental; referência em marcas de relógio como o Rolex e outros; sede de conceituadas fábricas de chocolate como Nestlé, Lindt, Toblerone, Ragusa e Ovomaltine; contém apreciados queijos, conhecidos como “queijos suíços” e um dos melhores sistemas bancários do mundo, com bancos que atraem os mais ricos do planeta, como UBS, HSBC e Credit Suisse.

Enquanto que, no Brasil, a maioria das pessoas busca a segurança do salário no final do mês, mesmo que seja pouco, 47% dos aposentados precisam continuar trabalhando para compor a renda, 35% dependem da família e, apenas, 8% investem em previdência privada. Pois transformaram simples adágios como “melhor pingar…” e “mais vale um pássaro na mão…” em axiomas que conduziram seu futuro.

Note que os axiomas podem ajudar a direcionar a sua vida ao sucesso ou ao fracasso.

Max Gunther, autor do livro “Os Axiomas de Zurique”, entrega 12 poderosos axiomas principais e 16 secundários que os grandes banqueiros cunharam e pessoas de alta performance observam e aplicam em suas vidas. O primeiro axioma é: “Arrisque!”. Segundo Max, preocupação não é doença, mas sinal de saúde. Se você não se preocupa, não está arriscando o bastante! Quem não arrisca e busca somente a segurança, em um futuro próximo administrará a escassez e a insegurança.

Repense suas crenças, questione, amplie, reformule, amplie de novo, busque uma visão dentro e fora da caixinha e estabeleça novas crenças fundamentadas em uma consciência progressiva e, por fim, tenha a atitude congruente de acordo com as suas crenças. Assim, será possível minimizar as diversas crises que emergem ao longo da vida e promover o crescimento e desenvolvimento a quem se permitir.

Para que você mergulhe mais a fundo no poder dos axiomas, sugiro a leitura do livro “Os Axiomas de Zurique”, de Max Gunther.

1 COMENTÁRIO

Comentários estão fechados.