Indústria paulista tem o melhor saldo de emprego acumulado dos últimos 4 anos

0
5

De janeiro a julho deste ano, o nível de emprego na indústria de transformação paulista aumentou em 0,37%, o equivalente a oito mil vagas a mais em relação ao saldo de contratos e demissões do mesmo período de 2016. Esse foi o melhor resultado acumulado desde 2013, quando tinham sido gerados 55,5 mil empregos, segundo a pesquisa mensal da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp).

No entanto, especificamente, em julho, houve um recuo de 0,08% com o corte de dois mil trabalhadores em comparação ao mês anterior. De um total de 22 setores pesquisados, dois mantiveram-se estáveis, nove ampliaram as contratações e 11 reduziram os postos de trabalho. Entre os que expandiram as vagas estão as indústrias de máquinas e equipamentos (1.426); produtos de borracha e de material plástico (1.142); veículos automotores, reboque e carrocerias (1.107).

Já os segmentos que mais efetuaram demissões foram as de produtos alimentícios (2.070); produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (1.600) e couro e calçados (1.080).

O diretor titular do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon), Paulo Francini, avaliou que o resultado mostra uma estabilidade no mercado de trabalho. Por meio de nota, ele acrescentou ter sido uma surpresa o bom desempenho de empresas exportadoras. “Alguns setores, como máquinas e equipamentos, produtos de borracha e veículos automotores surpreenderam com contratações, influenciados pelas exportações, que têm ganhado fôlego”.

Na média, o interior do estado teve um recuo mais expressivo (-0,11%) do que na Grande São Paulo (-,0,03%), mas em compensação os setores com saldos positivos criaram bem mais vagas do que os principais segmentos da lista de empresas com quadro mais enxuto.