Aeroportos aumentam revista de passageiros que vão para os Estados Unidos

0
34

Os passageiros que partem de aeroportos do Brasil com destino aos Estados Unidos estão sendo submetidos a uma inspeção mais rigorosa no embarque. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) determinou que, além da fiscalização dos agentes dos aeroportos no salão de embarque, as companhias aéreas reforçarão a inspeção da bagagem de mão dos viajantes na porta do avião, sobretudo dos equipamentos eletrônicos e de informática como celulares, laptops e tablets.

A regra completou um ano na última terça-feira (18) e foi intensificada, conforme o comunicado da Anac. Ela é uma exigência da Transportation Security Administration (TSA), organização americana que se propõe a combater o terrorismo através da segurança no transporte aéreo.

A assessoria de imprensa da Anac afirmou hoje (20), em Brasília, que a regra já está em vigor em todos os voos para os Estados Unidos. Disse ainda que a medida não será restrita ao Brasil.

A assessoria comentou, porém, que não poderia expor “quesitos como quantidade de passageiros”, a serem abordados em cada voo. Isso pode ser interpretado como um indício de que o procedimento será posto em prática de forma progressiva.

Laptops e tablets serão vistoriados

A Agência Brasil entrou em contato com a empresa Latam, que tem voos para os Estados Unidos. “Em alguns casos, a revista vai acontecer. No começo, não vai ser para todos os voos, vai ocorrer gradativamente. A orientação é de que todos os passageiros estão sujeitos a protocolos adicionais de revista”, explicou o atendente da empresa, Lucas Teodoro.

A assessoria de imprensa do Aeroporto Internacional de Brasília informou que a inspeção vale tanto para voos domésticos quanto internacionais. “Além da inspeção aleatória realizada em passageiros, os equipamentos eletrônicos, como laptops e tablets, passam também por detector de traços explosivos. A medida visa dar ainda mais segurança aos passageiros e funcionários”, disse.

A Latam recomenda que os passageiros cheguem cerca de três horas antes do horário do voo, para evitar transtornos. Quem se recusar a passar por procedimentos de segurança poderá ser impedido de embarcar.