Destrinchando as RELAÇÕES INTERNACIONAIS através da BÍBLIA: 2. JORDÂNIA, um país sem identidade

0
13

É impressionante ver como o caráter dúbio e ambíguo da Jordânia com relação à Israel e o povo de Deus tem sido o mesmo desde as suas fundações. A Jordânia de hoje é a terra que foi ocupada pelos Moabitas, descendentes de Moabe e pelos Amonitas, descententes de Ben-Ami. Para entender o início, é importante contar a história do nascimento destes dois personagens, que eram netos de .

Depois da destruição de Sodoma e Gomorra, Ló passou a viver em cavernas e, enquanto envelhecia, suas filhas passaram a se preocupar com o fato de Ló não ter gerado um filho homem, para garantir a sua linhagem (coisa que era levada muito à sério à época). As duas filhas de Ló, o embriagaram e tiveram relações com Ló, engravidando-se do próprio pai. Desta relação incestuosa, nasceu da filha primogênita, o filho chamado Moabe, pai dos Moabitas e, da mais nova, nasceu Ben-Ami, patriarca dos Amonitas.

A ambiguidade do caráter da Jordânia deve-se ao seu patricarca, sobrinho de Abraão, Ló, que era um oportunista. Ló não tinha uma vocação pessoal, mas vivia à sombra de Abraão. Quando Deus faz a promessa à Abraão, ordenando que ele saísse de Ur da Caldéia, por que dele, Deus faria uma grande Nação (Gênesis 12:1-4), a Bíblia diz “e Ló foi com ele”. Não sabemos, claramente, o motivo de Abraão ter levado o seu sobrinho Ló junto, mas os textos registram que não foi uma boa idéia de Abraão, pois depois de algum tempo, passaram a se desentender. Em Gênesis 13: 6-12, relata a história de como Ló foi parar na região que hoje é a Jordânia, nas proximidades do rio Jordão:

“E não tinha capacidade a terra para poderem habitar juntos; porque os seus bens eram muitos; de maneira que não podiam habitar juntos.

E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló; e os cananeus e os perizeus habitavam então na terra.

E disse Abrão a Ló: Ora, não haja contenda entre mim e ti, e entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos irmãos.

Não está toda a terra diante de ti? Eia, pois, aparta-te de mim; e se escolheres a esquerda, irei para a direita; e se a direita escolheres, eu irei para a esquerda.

E levantou Ló os seus olhos, e viu toda a campina do Jordão, que era toda bem regada, antes do SENHOR ter destruído Sodoma e Gomorra, e era como o jardim do SENHOR, como a terra do Egito, quando se entra em Zoar. Então Ló escolheu para si toda a campina do Jordão, e partiu Ló para o oriente, e apartaram-se um do outro.

Habitou Abrão na terra de Canaã e Ló habitou nas cidades da campina, e armou as suas tendas até Sodoma.”

MAIS TARDE, quando Deus ordenou para que Ló deixasse a região de Sodoma, Ló ainda teve a pachorra de argumentar com Deus, dizendo: “Assim não, Senhor meu.”  (Gênesis 19:17-18). Na sequência, temos a famosa passagem em que a mulher de Ló olhou para trás, provavelmente com pesar por ter deixado a cidade, caracterizando uma indecisão quanto à ordem de Deus, e se transformou numa estátua de sal.

O fato é que a Jordânia, desde a sua formação através de Ló, sempre misturou o que é sagrado e o que é profano: A bênção da paternidade, transformaram na aberração do incesto; Da promessa à Abraão, tentaram “tirar uma lasca”; de uma ordem de Deus, duvidaram e argumentaram; de um passado sujo, a mulher de Ló revelou saudosismo.

Essa mesma ambiguidade com relação às coisas de Deus na antiguidade, se revela nos dias de hoje, contra Israel. Por causa de uma política dúbia com relação à Israel, a Jordânia perdeu Jerusalém (que fazia parte do seu território, e que hoje é a Cisjordânia) para Israel em 1967, durante o reinado do rei Hussein. O quintessência deste caráter dúbio foi mostrado ao mundo, quando, antes de perder o território de Jerusalém, a Jordânia profanou o local mais sagrado dos judeus, o Muro das Lamentações, onde havia o Templo de Deus, construindo ali, instalações sanitárias públicas utilizando pedras dos sepulcros dos profetas, o que soou como uma violência e profanação para os judeus na era moderna.

É interessante que as profecias bíblicas são certeiras e serviam tanto para aquela época, quanto para hoje, quanto à Jordânia e à descendência de Amom (Ezequiel 25:1-11):

“Filho do homem, dirige o teu rosto contra os filhos de Amom (Jordânia), e profetiza contra eles.

E dize aos filhos de Amom (Jordânia): Ouvi a palavra do Senhor DEUS: Assim diz o Senhor DEUS: Porquanto tu disseste: Ah! contra o meu santuário, quando foi profanado; e contra a terra de Israel, quando foi assolada; e contra a casa de Judá, quando foi ao cativeiro;

Portanto, eis que te entregarei em possessão aos do oriente, e em ti estabelecerão os seus acampamentos, e porão em ti as suas moradas; eles comerão os teus frutos, e eles beberão o teu leite.

E farei de Rabá (cidade de Amã, atual capital da Jordânia nos dias de hoje) uma estrebaria de camelos, e dos filhos de Amom um curral de ovelhas; e sabereis que eu sou o SENHOR.

Porque assim diz o Senhor DEUS: Porquanto bateste com as mãos, e pateaste com os pés, e com todo o desprezo do teu coração te alegraste contra a terra de Israel,

Portanto, eis que eu tenho estendido a minha mão sobre ti, e te darei por despojo aos gentios, e te arrancarei dentre os povos, e te destruirei dentre as terras, e acabarei de todo contigo; e saberás que eu sou o SENHOR .Assim diz o Senhor DEUS: Porquanto dizem Moabe e Seir: Eis que a casa de Judá é como todos os gentios;

Portanto, eis que eu abrirei o lado de Moabe desde as cidades, desde as suas cidades da fronteira, a glória da terra, Bete-Jesimote, Baal-Meom, e Quiriataim.

E aos do oriente, contra os filhos de Amom, o entregarei em possessão, para que não haja memória dos filhos de Amom entre as nações.

Também executarei juízos sobre Moabe, e saberão que eu sou o SENHOR.” 

O POSICIONAMENTO DA JORDÂNIA NOS DIAS DE HOJE

A Jordânia é hoje, um país pacífico, mas sua postura diplomática com relação à Israel e seus aliados tem sido sempre ambígua. Em 1973, a Jordânia enviou uma brigada para a Síria para lutar contra Israel. Em 1990, a Jordânia não tomou posição alguma na guerra do Golfo, se abstendo da disputa. Em 1991, A Jordânia aceitou, juntamente com representantes da Síria, Líbano e Palestina, participar de negociações de paz diretas com Israel mediadas por Estados Unidos e Rússia. Em1994, foi assinado o Tratado da Paz Israel-Jordânia, entre os dois estados vizinhos. O tratado veio normalizar as relações entre os dois países e resolveu disputas territoriais entre si. Desde então, a Jordânia tem procurado manter a Paz com seus vizinhos e é Governada pelo Rei Abdullah II e a rainha Rania, natural da Palestina, que tem se engajado exaustivamente em causas humanitárias e educadionais pelo mundo todo.