Aeronave brasileira faz sucesso nos Estados Unidos

0
1330

Avião fabricado no interior de São Paulo, chama a atenção de especialistas e aviadores do mundo inteiro no maior evento de aviação dos EUA.

LAKELAND, FLÓRIDA – Todos os anos a Flórida recebe cerca de um milhão de espectadores do mundo inteiro para uma das maiores feiras de aviação mundial. Na última semana, a Sun’n Fun Fly-In Expo, que neste ano celebrou a sua 43a edição, contou com tradicionais expositores de aeronaves, fabricantes de motores, aviônica e fornecedores de equipamentos e softwares aeronáuticos do mundo inteiro. A feira teve diversos shows aéreos com sofisticadas aeronaves de grande e pequeno porte, além de caças F-22 e F-18, com performance acrobáticas feitas por pilotos de renome. Como se não fosse o suficiente, o evento neste ano, ainda contou com a presença de caças da Força Aérea Francesa e dos célebres “Blue Angels”, que formam a elite da Força Aérea dos Estados Unidos.

Seamax M-22, aeronave fabricada em São João da Boa Vista, com vendas e entregas realizadas no mundo inteiro.

Enquanto as pirotecnias animavam a platéia acumulada nas pistas da base aérea, milhares de interessados permaneciam nas áreas destinadas às aeronaves em exibição e comercialização. Fabricantes tradicionais apresentavam produtos novos, como a Cirrus, Cesnna, Honda e até a brasileira Embraer. Porém, o retorno da aeronave anfíbia Brasileira, Seamax M-22, fabricada pela Airmax em São João da Boa Vista, SP, ao mercado norte-americano tem sido visto com grande expectativa pelos amantes da categoria LSA (Light-Sport Aviation) no mundo inteiro.

O Seamax M-22 é um projeto do designer Miguel Rosário, fabricado no Brasil desde 2001 e que apresenta um sólido histórico de comercialização e entrega de 150 aeronaves em mais de 30 países. Apesar de ser um projeto de 17 anos de idade, o Seamax M-22 tem sido constantemente atualizado e se apresenta ao mercado como uma aeronave confiável, madura e que até os dias de hoje antecipa tendências estéticas para a próxima geração de aeronaves leves esportivas.

Seamax M-22, aeronave brasileira, com 150 unidades vendidas no mundo.

Um fato que tem se tornado evidente no mundo LSA é que, mesmo com o surgimento de novos projetos de concorrentes apresentados ao mercado a cada ano, a performance do Seamax continua imbatível e a aeronave brasileira se consolida como um dos maiores sucessos no mundo Light-Sport.

AERONAVE ANFÍBIA

Versátil: O Seamax M-22 tem capacidade para pousos e decolagens na água, pavimento, grama, neve e até gelo.

Uma das características do Seamax M-22 é que se trata de uma aeronave anfíbia, isto é, pousa e decola tanto em pistas de pavimento e grama, quanto na água (e até mesmo gelo e neve). Apesar dos seus traços suaves e modernos, é uma aeronave forte, fabricada em materiais compostos, numa mistura de fibra de carbono e Kevlar, que a mantém leve e robusta. O desenho do Seamax harmoniza de forma equilibrada a aerodinâmica com a hidrodinâmica, o que o permite ter uma das melhores performances em vôo da categoria. Quando o percurso é na água, a aeronave se assemelha a uma espécie de jet-ski em alto rendimento para decolagens, deslocamento e taxiamento.

AVIÃO PIONEIRO NA CATEGORIA LSA NOS EUA

Dan Johnson, célebre jornalista de aviação norte americano e Presidente da Light Aviation Manufacturers Association entrevista o Designer e criador do Seamax, Miguel Rosário em Lakeland, 2017.

Além de ser uma aeronave de sucesso, o Seamax M-22 também possui o seu registro na história aeronáutica esportiva dos Estados Unidos. A aeronave brasileira foi a primeira no mundo a ser certificada na categoria S-LSA (Special Light-Sport Aircraft) pela FAA (Federal Aviation Administration), órgão que regulamenta a aviação nos Estados Unidos. No ano de 2008, quando a foi criada a categoria LSA nos Estados Unidos como uma divisão na aviação geral com regulamentação própria, o projeto brasileiro recebeu elogios das autoridades americanas e estabeleceu o referencial para a certificação de várias aeronaves do mundo inteiro. Tal fato foi recentemente relembrado e registrado em artigo escrito por Dan Johnson, célebre jornalista aeronáutico e atual Presidente da LAMA (Light Aviation Manufacturers Association), a Associação dos Fabricantes de Aeronaves Leves dos Estados Unidos. Não obstante, a empresa brasileira ainda é certificada em outros 20 países.

MERCADO E CERTIFICAÇÕES

Miguel Rosário, designer e criador do Seamax M-22.

O Seamax retorna ao mercado Norte Americano em momento muito oportuno para a empresa. Com as recentes regulamentações da categoria (LSA nos Estados Unidos e, ALE – Aviação Leve Esportiva no Brasil), poucas empresas de aviação têm conseguido se manter no mercado. A necessidade de certificação aeronáutica pelos órgãos competentes têm se tornado cada vez mais rígida nos processos de controle de qualidade. Com certificação já assegurada em diversos países, e neste momento, com a recente mudança da fábrica para instalações mais modernas em São João da Boa Vista, SP, a Airmax se posiciona no mercado como uma das poucas empresas habilitadas a entrar na briga por um nicho de mercado que se configura como o “grande filão” da aviação. Um atrativo para os clientes, é o fato de que para se obter uma licença para pilotar aeronaves na categoria LSA, o custo é quase a metade do brevê de piloto comercial. Além do baixo valor da habilitação, os custos relacionados às horas de voô, manutenção e armazenamento da aeronave estão entre as mais eficientes. E o Seamax pode ser adquirido por um preço de um carro de luxo, o que tem feito os amantes da aviação esportiva disputarem vaga na lista de espera por um avião destes. Atualmente, o tempo de espera é de cinco meses para a entrega de uma aeronave ao cliente.

CONCORRÊNCIA E MOMENTO FAVORÁVEL

O atual momento parece ser um céu-de-brigadeiro para o Seamax. O principal concorrente da aeronave brasileira, nos dias de hoje, é o Icon A5, avião fabricado na Califórnia. A fabricante da aeronave americana tem emitido notas de esclarecimento, ano após ano, para justificar o atraso e prorrogações no início da produção serial do A5, sendo que, desde 2008, a empresa conseguiu fabricar apenas 20 aeronaves.

Aeronave anfíbia Seamax M-22, sucesso mundial na categoria LSA

O fato que tem intrigado o mercado é que a empresa californiana já recebeu cerca de 85 Milhões de dólares em investimento para desenvolvimento e produção, e ainda não tem conseguido acelerar a sua produção – especula-se que talvez seja por problemas não resolvidos na engenharia de produção serial ou no projeto. O fato é que o Icon A5 possui cerca de 1.900 pré-vendas de aeronaves, o que representa cerca de 400 milhões de dólares em vendas – e muitos clientes descontentes com a empresa, pois não têm idéia de quando receberão a sua aeronave – o que acabou se tornando uma dor de cabeça para a empresa gerenciar. E como se não bastasse, para piorar a situação da Icon, no fim de semana que antecedeu a feira em Lakeland, uma das (apenas) 20 aeronaves em atividade afundou no mar de Miami com duas pessoas a bordo (sem vítimas fatais), transformando o episódio e a situação da empresa no assunto principal dos bastidores da feira.

Icon A5, concorrente do Seamax. Foto: Reprodução Wikipédia.

Os milhões que a Icon investiu no marketing da sua aeronave, hoje têm soado como um tiro no próprio pé, tanto que a empresa tem evitado os holofotes, mediante às cobranças e pressão da imprensa especializada e clientes insatisfeitos com a demora – à ponto de sequer terem marcado presença com a suas aeronaves em de Sun’n Fun neste ano. Nos dias de hoje, os seus compradores têm buscado outras alternativas e, muitos deles têm transferido a atenção para o Seamax, que à esta altura já se prepara – e é assediada por investidores norte-americanos – para estabelecer uma unidade de montagem final em solo Yankee. A empresa tem planos de iniciar as atividades nos Estados Unidos em 2018 e até já transferiu profissionais para o exterior com intenção de acelerar tratativas com agentes governamentais e de desenvolvimento econômico.

PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E FUTURO

As ambições dos dirigentes da Airmax não param por aí. A visão de futuro da empresa para o Seamax está também nos mercados de Defesa mundial, reconhecimento e monitoramento, policiamento, além do desenvolvimento e aplicação de novas tecnologias e o uso comercial da aeronave e para isso, a empresa continua investindo em parcerias estratégicas, muita pesquisa e desenvolvimento e ferramentas de gestão moderna.

Seamax em operação: Uma das melhores performances, autonomia e capacidade de bagagem da categoria.

Com um histórico sólido de comercialização e com um produto imbatível, a Airmax se apresenta de forma singular num mercado aberto e de poucos players certificados. Parece que, mesmo depois de décadas em produção, o Seamax M-22 ainda continua sendo a melhor aeronave da categoria no mundo… e enquanto não surgirem concorrentes à altura, permanecerá nos holofotes por um bom tempo.